Curso de Ciências Rurais é alternativa para quem reside no meio-oeste do Estado e regiões próximas

04/09/2009 08:58

Uma das alternativas oferecidas pela Universidade Federal de Santa Catarina no próximo vestibular é o curso de Ciências Rurais, cujas primeiras turmas – com alunos aprovados no Vestibular Suplementar 2009 – entraram em agosto passado no campus de Curitibanos. A opção por esta área deveu-se à vocação do meio-oeste do Estado e das regiões do entorno para a agricultura, a agropecuária e a exploração dos recursos florestais. De acordo com o diretor administrativo do campus, Olavio Gevehr, para 2010 e os anos seguintes a projeção é implantar os cursos de Agronomia, Engenharia Florestal, Engenharia Agrícola, Agroindústria e Licenciatura em Ciências Rurais.

O curso de Ciências Rurais é formado por dois ciclos distintos. No primeiro, com dois anos de duração, adotou-se o modelo da formação profissional continuada, e no segundo, de caráter profissionalizante, desenvolvido ao longo de três anos, o graduado poderá realizar o bacharelado em Ciências Rurais ou buscar, dentro das opções oferecidas, os conhecimentos necessários à profissão que deseja seguir, seja de formação tecnológica, científica ou pedagógica.

Prevendo a mobilidade acadêmica, as quatro opções de formação profissional existentes no Centro de Ciências Agrárias, em Florianópolis (Agronomia, Engenharia de Aqüicultura, Zootecnia e Ciência e Tecnologia Alimentar ), também poderão atender parte da demanda dos egressos do ciclo básico de Curitibanos. “O intento é assegurar a todos os egressos do curso de Ciências Rurais a oportunidade de avançar os estudos no segundo ciclo e obter sua formação profissional”, ressalta Olavio Gevehr.

“Nesse arranjo, o aluno proveniente do ensino médio ingressa no primeiro ciclo e adquire a preparação científica e cultural em disciplinas ligadas às ciências fundamentais”, diz o diretor geral do campus, professor Darci Odílio Paul Trebien. Esse modelo criado pela UFSC para os novos campi de Curitibanos, Joinville e Araranguá tem a vantagem de reduzir a evasão nas universidades federais, que chega a 40%, em média, no Brasil. Com tempo para escolher a melhor habilitação, os estudantes poderão usar a fase inicial dos cursos para conhecer bem as opções existentes e, por tabela, as características de sua futura profissão.

O vestibular 2010 será realizado nos dias 6, 7 e 8 de dezembro, oferecendo 5.721 vagas em Florianópolis e nos três campi recém-criados, totalizando 76 cursos/habilitações. As inscrições ficarão abertas entre os dias 15 de setembro e 14 de outubro, somente pela internet, no site www.vestibular2010.ufsc.br. Até 14 de setembro também pode ser solicitada a isenção da taxa de inscrição, que contempla candidatos que comprovarem situação socioeconômica que impossibilite o pagamento.

Mais informações com o diretor administrativo do campus de Curitibanos, Olavio Gevehr, pelos fones (48) 3721-6456, (49) 3241-0236 e (49) 9979-7887.

Por Paulo Clóvis Schmitz / Jornalista na Agecom

(Fonte: http://www.agecom.ufsc.br/index.php?id=9763)

Campus da UFSC em Curitibanos também adota trote solidário

24/08/2009 11:55

O novíssimo curso de Ciências Rurais, implantado pela UFSC no campus de Curitibanos, também incentiva o trote solidário entre os calouros. Nesta terça-feira, 25/8, entre 13h30min e 17h, os estudantes participam de doação de medula óssea. A atividade será realizada na Universidade do Contestado, na Avenida Leoberto Leal 1904, Bairro Universitário Waldemar Ortigar.

O trote solidário prossegue no dia 1 de setembro, com coleta de sangue no Hospital Hélio Anjos Ortiz, no horário das 9h às 12h e entre 13h30min e 17h. Além de doares, os estudantes atuarão como incentivadores dessa ação.

Ciclos de formação
O curso de Ciências Rurais está organizado em dois ciclos. Concluído o primeiro, de três anos, o graduado poderá dar por encerrada sua formação, recebendo o título de Bacharel em Ciências Rurais, ou poderá buscar, dentro das opções oferecidas, os conhecimentos indispensáveis à profissão que deseja seguir, seja de formação tecnológica, científica ou pedagógica. Esta fase caracteriza o segundo ciclo, profissionalizante.

Prevendo a mobilidade acadêmica e o atendimento a esta fase profissionalizante, as quatro opções de formação profissional atualmente existentes no campus Florianópolis da UFSC, no Centro de Ciências Agrárias (Agronomia, Engenharia de Aqüicultura, Zootecnia e Ciência e Tecnologia Agroalimentar) poderão atender parte da demanda dos egressos do curso de Ciências Rurais do campus Curitibanos.

“O objetivo é assegurar a todos os egressos do Curso de Ciências Rurais a oportunidade de avançar os estudos no segundo ciclo e obter sua formação profissional”, informa o professor Darci Trebien, diretor-geral do novo campus de Curitibanos

Além disso, inicialmente oferecendo apenas Ciências Rurais, o campus da UFSC em Curitibanos já prepara novidades para 2010. O planejamento prevê para o ano que vem a implantação dos cursos de Agronomia, Engenharia Florestal, Engenharia Agrícola, Agroindústria e Licenciatura em Ciências Rurais.

Mais informações: 48 3721-6456 ou 48 3721-6455.

Por Arley Reis / Jornalista da Agecom

(Fonte: http://www.agecom.ufsc.br/index.php?id=9691)

Novos campi da UFSC são oficialmente instalados

06/08/2009 17:35

Os dez primeiros dias de agosto de 2009 representam mais um marco na história da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC): a instalação dos novos campi em Joinville, Curitibanos e Araranguá.

No dia 4 ocorreu a cerimônia de posse dos diretores e a instalação do campus em Joinville, no Auditório da Univille, instituição que cedeu à UFSC um dos blocos de sua universidade – Bloco F – para funcionamento provisório do Curso de Engenharia de Mobilidade (CEM).

Luis Henrique da Silveira, Alvaro Prata e Carlito Merss

De todos os cursos de graduação oferecidos pela UFSC nos novos campi, o de Joinville representa o maior desafio devido ao seu ineditismo. Trata-se da formação em Engenharia de Mobilidade, concebido com a finalidade de capacitar pessoas de alta competência técnica e gerencial para planejar, projetar, manter e gerenciar sistemas técnicos utilizados no movimento e transporte de pessoas, produtos e informações.

Um público de cerca de 200 pessoas, entre as quais autoridades da UFSC e dos poderes Executivo e Legislativo Estadual e Municipal, representantes de associações industriais locais, calouros e seus familiares, prestigiaram a cerimônia. O reitor Alvaro Prata agradeceu a todos, em especial, o ex-reitor da UFSC Lúcio Botelho, responsável pelo início da luta pela interiorização, e também aos que ajudaram a materializar o sonho, “motivando a UFSC a enfrentar os desafios e, sobretudo, a chama que nos dá energia e coragem para avançar”.

O governador do Estado, Luis Henrique da Silveira, também lembrou a atuação de Lúcio Botelho no processo de instalação do Campus de Joinville. Em agosto de 2007, o ex-reitor apresentou ao governador a proposta, que significava um investimento de R$ 9 milhões. Avaliado como de fundamental importância para o desenvolvimento de Santa Catarina, o Governo do Estado garantiu R$ 6 milhões. Os R$ 3 milhões restantes vieram da Prefeitura de Joinville, que embora não tivesse os recursos, considerou a relevância da implantação do Campus no Município e optou por um empréstimo junto ao Banco de Desenvolvimento de Santa Catarina (Badesc).

Acires Dias, diretor empossado em Joinville, direcionou sua fala principalmente aos calouros presentes. Em seu pronunciamento fez menção à abrangência e à relevância do curso, com destaque para a sua criação a partir da falta de infraestrutura no setor no País. Proferiu agradecimento à professora Clarice Portela, uma grande força no processo de implantação do Campus de Joinville.

O representante do Diretório Central dos Estudantes da UFSC, Fernando José Caldeira Bastos Neto, também dirigiu sua mensagem aos alunos. Destacou que nenhum país pode fechar os olhos à tecnologia e que compete às universidades a missão de acabar com a dependência tecnológica, mas lembrou aos estudantes a importância de pensarem o papel da universidade e do retorno que desejam dar ao próprio País.

Pedro Fengler, Maria Eugênia Cascaes, Paula Fortkamp e Renata Oliveira, calouros do Curso de Engenharia de Mobilidade, estão confiantes na escolha que fizeram para seu futuro profissional. A perspectiva positiva é gerada pela especificidade do curso e pela visão de expansão da área na qual deverão atuar. São unânimes em afirmar que todos os formandos deverão se encaixar rapidamente no mercado de trabalho. Os quatro calouros iniciam o curso com uma preferência pela habilitação em Engenharia Veicular – Automotiva, mas abertos a novas tendências que possam surgir após cursar os dois anos de conhecimentos básicos.

A mesa da cerimônia oficial teve a seguinte composição: Alvaro Prata, reitor da UFSC; Luiz Henrique da Silveira, governador do Estado; Carlito Merss, prefeito de Joinville; Derci Pasqualotto, representante da senadora Ideli Salvatti; Paulo Bauer, secretário estadual de Educação; Marquinhos Fernandes, secretário municipal de Educação; James Schroeder, representante da Câmara de Vereadores; Acires Dias, diretor do Campus Joinville; Paulo Ivo Koentopp, reitor da Univille; João Martinelli, representante da ACIJ; e Fernando José Caldeira Bastos Neto, representante do Diretório Central dos Estudantes da UFSC.

Instalação em Curitibanos

No dia 5 de agosto uma nova cerimônia de instalação, posse de diretores e recepção aos calouros se realizou em Curitibanos, no Auditório da Universidade do Contestado (UnC). Aqui a expansão representa a oferta de 180 vagas para formação em Ciências Rurais e funciona provisoriamente em instalações da UnC.

Durante a cerimônia, o professor Darcy Otílio Trebien foi empossado diretor geral e Olávio Gevehr diretor Administrativo do Campus. Em seu discurso, Alvaro Prata convocou os presentes a unirem todas as forças no mesmo partido: o Partido da Educação. Ele comentou o grande índice de aprovação de alunos que realizaram o Pré-Vestibular Popular da UFSC em Curitibanos, com 44,5%, dos quais 35,8% para Ciências Rurais. A atuação da Universidade no município proporcionará aos cidadãos um ensino de qualidade de forma que eles possam seguir e perseguir a sua vocação, disse o reitor Prata.

Durante a inauguração da UFSC em Curitibanos, o governador Luiz Henrique da Silveira divulgou a liberação de recursos, a partir de setembro, para terraplanagem e pavimentação de uma das vias de acesso ao Campus. Outra boa notícia refere-se a primeira parceria entre o Campus e a Universidade de Nagazaky, com proposta de intercâmbio em Ciências Agrárias naquela região.

Esta possibilidade é fruto da proximidade do município de Frei Rogério, que se caracteriza pela colonização japonesa e foi responsável pela programação artística do evento, com uma apresentação de membros da Associação Cultural Brasil-Japão de danças tradicionais e Kendô, uma arte marcial japonesa moderna (gendai budo), desenvolvida a partir de técnicas tradicionais de combate com espadas.

Os nomes da família Gaboardi e de Aluísio Werneck foram destacados na ocasião, pois o novo Campus foi viabilizado através das glebas de terra doadas por eles.

A mesa de cerimônia oficial teve a seguinte composição: Alvaro Prata, reitor da UFSC; Luiz Henrique da Silveira, governador do Estado; Wanderley Teodoro Agostini, prefeito de Curitibanos; Nilson José Berlanda, secretário de Desenvolvimento Regional; Natalino de Lazaro, secretário de Desenvolvimento Regional de Videira; Onofre Agostini, secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico e Sustentável;; Paulo Bauer, secretário estadual de Educação; Sidney Furlan, representante da Câmara Municipal de Vereadores; Darcy Otílio Trebien, diretor do Campus da UFSC em Curitibanos; Olávio Gevehr, da Comissão Pró-UFSC; Pedro Paulo Rodrigues, diretor da UnC, Arnildo Carlos Gerhardr , diretor da Associação Comercial e Industrial de Curitibanos; e Fernando José Caldeira Bastos Neto, representante do Diretório Central de Estudantes da UFSC.

No próximo dia 10 é a vez de oficializar a instalação em Araranguá. Os calouros, professores e funcionários deste campus iniciam as atividades em sede própria, com oferta de curso na área de Sistemas Digitais, oferecendo formação abrangente no campo das Ciências Computacionais.

Mais informações: Florianópolis: (48) 3721-9559 e 3721-9334.

Joinville: Acires Dias (48) 3721-6414 /

Curitibanos: Darci Odílio Paul Trebien (48) 3721-5440 ou

Araranguá: Sérgio Peters /

Mara Paiva / Jornalista da Agecom

(Fonte: http://www.agecom.ufsc.br/index.php?id=9576)

Reitor visita Curitibanos e acompanha obras de implantação do Campus

27/05/2009 10:08

Com a presença do reitor Alvaro Toubes Prata, terão início segunda-feira, dia 1º de junho, em solenidade marcada para às 10h30, os trabalhos da segunda etapa da construção do prédio do campus da Universidade Federal de Santa Catarina em Curitibanos. Concluída a parte estrutural, com a colocação dos elementos pré-moldados, a nova fase consiste no assentamento das paredes e nos acabamentos, que devem ficar prontos em dezembro, segundo o diretor geral do campus, professor Darci Odílio Paul Trebien. Até lá as aulas, que começam em agosto, serão ministradas nas instalações da Universidade do Contestado (UnC), no período diurno.

Enquanto isso, continuam abertas até o dia 8 de junho as inscrições para o Vestibular Suplementar 2009, que no caso de Curitibanos selecionará 180 candidatos para o curso de Ciências Rurais. Dentro da nova proposta pedagógica adotada nos três novos campi da UFSC (Joinville, Araranguá e Curitibanos), os aprovados no vestibular de 12 a 14 de julho farão três anos no ciclo básico e depois optarão por uma das cinco habilitações oferecidas – Agronomia, Engenharia Florestal, Engenharia Agrícola, Agroindústria e Licenciatura em Ciências Rurais –, que serão cumpridas em mais dois anos.

O edifício onde funcionará o campus fica a 3,5 quilômetros do centro de Curitibanos, numa área de 246 mil metros quadrados, sendo que a área física construída deverá chegar a 4 mil metros. Uma nova área, com 242 mil metros quadrados, próxima ao município de São Cristóvão do Sul, será incorporada ao campus para sediar o futuro Centro de Pesquisa e Extensão. Nos dois casos, há o compromisso da prefeitura de Curitibanos de pavimentar o acesso, facilitando a chegada dos estudantes, professores e funcionários.

Por outro lado, a universidade começa a realizar o processo de seleção de 10 professores adjuntos para o ciclo básico, que devem ter doutorado. Os servidores e técnicos de laboratório serão convocados de acordo com resultado de concurso realizado no último fim de semana e, se necessário, serão chamados os aprovados no concurso que a UFSC fez em 2008, em Florianópolis.

Formação continuada – De acordo com o diretor geral do campus, a escolha do curso e das futuras habilitações levou em conta a vocação do Meio-oeste do Estado para a agricultura, a agropecuária e a exploração dos recursos florestais. “Estas são as atividades econômicas predominantes na região”, explica Darci Paul Trebien, que era lotado no Departamento de Engenharia Rural do Centro de Ciências Agrárias, em Florianópolis. Ainda assim, outros cursos poderão ser criados, dependendo da demanda e do ritmo de consolidação do campus.

Os alunos que cumprirem os três anos da etapa inicial do curso receberão o diploma de bacharel em Ciências Rurais, podendo optar entre buscar uma ocupação no mercado ou dar seguimento aos estudos, nas habilitações oferecidas, de caráter profissionalizante, nas formações tecnológica, científica ou pedagógica. O professor ressalta a importância do ciclo comum a todos os ingressantes:

“Nesse arranjo, o aluno proveniente do ensino médio ingressa no primeiro ciclo e adquire a preparação científica e cultural em disciplinas ligadas às ciências fundamentais. Neste ciclo, o objetivo é antes formar cidadãos aptos a enfrentar desafios complexos da vida pública do que formar técnicos capazes de atender a demandas específicas. Para tanto, deverão ser privilegiados estudos interdisciplinares voltados à formação humanística e científica”.

O professor também explica que “os diversos conteúdos desenvolvidos em disciplinas ligadas às ciências humanas, exatas, da natureza, biológicas e agrárias serão integrados em uma Disciplina Relacional presente em cada fase do curso”. Essa disciplina e as associadas às ciências agrárias trarão orientações para a escolha profissional dos alunos interessados em prosseguir nos estudos do segundo ciclo.

Esse modelo criado pela UFSC para os novos campi, segundo Trebien, tem a vantagem de reduzir a evasão nas universidades federais, que chega a 40%, em média, no Brasil. Com tempo para escolher a melhor habilitação, os estudantes poderão usar a fase inicial dos cursos para conhecer melhor as opções existentes e, por tabela, as características de sua futura profissão.

Mais informações com o professor Darci Odílio Paul Trebien nos telefones (48) 9971-5579 e 8836-2925 e pelo e-mail

Por Paulo Clóvis Schmitz / Jornalista na Agecom

(Fonte: http://www.agecom.ufsc.br/index.php?id=9127)

Reuni permite a expansão da UFSC com campi em Joinville, Curitibanos e Araranguá

05/05/2009 09:48

Ancorada no Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais – REUNI/MEC e, por feliz coincidência, na véspera de comemorar seu cinqüentenário de criação, a Universidade Federal de Santa Catarina inicia efetivamente as atividades acadêmicas dos seus três primeiros campi situados nas cidades catarinenses de Araranguá, Curitibanos e Joinville.

É parte fundamental do início das atividades a abertura das inscrições ao Concurso Vestibular UFSC 2009-Suplementar, no período de 08 de maio a 08 de junho do corrente. As provas para o provimento das 480 vagas em cursos de graduação, a serem oferecidas no segundo semestre letivo deste ano naqueles campi, bem como para o provimento de mais 175 vagas discentes em cursos na sede em Florianópolis, ocorrerão em meados de julho de 2009.

Conforme missão estabelecida no seu estatuto e exercendo plenamente a sua autonomia constitucional e sua reconhecida tradição de interferir positivamente na sociedade através do ensino, da pesquisa e da extensão, a UFSC irá oferecer inicialmente cursos de graduação nas seguintes macroáreas:
– Tecnologias da Informação e Comunicação, abordando na essência a convergência digital, os negócios, a cultura e a educação digital, em Araranguá;
– Ciências Rurais, abordando a formação profissional continuada nos campos científico, tecnológico e pedagógico, em Curitibanos;
– Engenharia da Mobilidade que, de forma inédita no país, propõe-se a estudar de forma integrada um dos grandes entraves da sociedade atual, que é a mobilidade de pessoas, bens e produtos, em Joinville.

Os projetos pedagógicos dos cursos de graduação a serem ministrados nestes campi foram concebidos em um formato que não obriga o candidato ao vestibular a optar por um curso específico no momento da sua inscrição e nem no início do curso, pois os mesmos serão oferecidos em dois ciclos formativos. O primeiro ciclo, com duração prevista de dois ou três anos, compreenderá disciplinas do núcleo comum da respectiva macroárea. Findo este ciclo, o aluno que não desejar continuar seus estudos receberá o título de bacharel na área correspondente. Os alunos que desejarem continuar para cumprir o segundo ciclo de estudos terão à disposição um rol de habilitações específicas (três habilitações em Araranguá, quatro, em Curitibanos e sete, em Joinville), tendo que optar por uma delas.

Estamos convictos que, em menos de meio século, os locais onde hoje estão sendo implantados estes novos campi passem por transformações semelhantes pelas quais passou a antiga fazenda modelo Assis Brasil, situada na Trindade em Florianópolis, que se tornou a sede de uma das melhores Universidades do país.

Professor Júlio Felipe Szeremeta
Presidente da Comissão Permanente do Vestibular – Coperve/UFSC

(Fonte: http://www.agecom.ufsc.br/index.php?id=8956)